O gesso está, cada vez mais, sendo utilizado na construção civil ao redor do mundo, seja no âmbito doméstico ou em grandes empreendimentos.

Ele é derivado de uma rocha chamada gipsita, que no Brasil pode ser encontrada em abundância nos estados do Pará, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí e Pernambuco.

A gipsita passa por um processo em que é calcinada, ou seja, aquecida a temperaturas elevadas e reduzida a pó, gerando a substância que conhecemos como gesso.

Apesar destas grandes reservas, o uso do gesso no país ainda é muito inferior ao de outros no norte global, como os

Estados Unidos da América, o Canadá e os países da União Europeia.

A única mina de gesso ativa no Brasil está localizada na Bacia do Araripe, que fica na divisa entre Pernambuco, Ceará e Piauí.

A história do gesso na construção civil

Segundo escavações na Síria, o uso do gesso na construção civil, na história da humanidade, remonta há mais de oito mil anos.

Seu emprego foi encontrado para moldagem em escavações datadas de seis mil anos em Jericó, assim como na Pirâmide de Quéops e em diversos outros achados arqueológicos.

Era utilizado, principalmente, na construção de afrescos decorativos, não muito diferente do que é feito hoje em dia.

Temos, por exemplo, uma abundância de construções com moldura de gesso, como as sancas, que podem variar desde uma estética tradicional até um design moderno.

Como utilizar o gesso em construções?

O gesso, assim como o cimento, forma uma massa plástica com forte capacidade de ligamento e resistência, ao ter um terço de seu peso umedecido com água.

A massa de gesso endurece em cerca de dez minutos e pode ser utilizada para, entre outras coisas:

  • Produção de moldes;
  • Acabamentos de reboco;
  • Acabamentos de teto de gesso;
  • Construção de paredes e divisórias;
  • Produção de aparelhos ortopédicos;
  • Produção de próteses dentárias;
  • Isolamento térmico.

Entre as vantagens do gesso podemos citar: a facilidade de manipulação e modelamento; sua superfície branca e plana, que confere bastante beleza aos ambientes; suas propriedades de isolamento térmico e acústico, que impedem incêndios e a difusão de barulho; e a alta aderência às superfícies, que faz dele um elemento decorativo ideal para acabamentos.

Já entre as desvantagens estão o fato de que dissolve facilmente em contato com a água, limitando seu uso a espaços internos sem contato com a chuva ou outras formas de umidade, e ser um material bastante sensível a colisões.

O choque de algo pesado contra o gesso pode, por exemplo, gerar a quebra do material e a perda da uniformidade e do valor decorativo.

O gesso acartonado: prático, bonito e versátil

O gesso acartonado, também chamado de drywall, é gerado através da união do gesso com o papel cartão.

É um material leve, maleável, de aplicação extremamente prática e com resultado final sem resíduos, pois suas chapas, já prontas, dispensam o uso da massa úmida.

O gesso acartonado economiza tempo de obra por sua facilidade de instalação e, dependendo do local, é uma opção muitas vezes mais barata.

A construção de paredes e divisórias em gesso acartonado é maioria nos países de Primeiro Mundo, e não por acaso.

Elas permitem instalações hidráulicas, elétricas e cabeamento de todo tipo em seu interior, assim como de variados eletrodomésticos, e funcionam como aquecedores em dias frios por sua capacidade de isolamento térmico.

Existem diferentes chapas de gesso acartonado, que variam de acordo com a função e local. As mais utilizadas são:

  • A chapa ST (standard): de uso geral para paredes, divisórias e forro de gesso;
  • A chapa RU (resistente à umidade): com adição de silicone e ideal para ambientes com alta circulação de vapor como banheiros e cozinhas;
  • A chapa RF (resistente ao fogo): que garante maior segurança em saídas de emergência e espaços de circulação como escadas;
  • A chapa cimentícia (drywall externo);
  • A chapa flexível, utilizada em superfícies curvas.

Um dos mais belos usos para as placas de gesso acartonado está na construção de sancas nos ambientes para agregar valor estético ao imóvel.

A sanca de gesso é um elemento-chave no design de interiores, utilizada para complementar o forro entre o teto e a parede.

Junto a uma iluminação estratégica, a sanca pode transformar uma sala comum em um espaço elegante, digno de revistas de decoração.

Um dos modelos de sanca é a sanca fechada, que tem as laterais vedadas e as lâmpadas acopladas na própria estrutura, gerando um efeito liso e minimalista, que pode vir acompanhado de diversos afrescos.

É diferente da sanca aberta, que conta com uma abertura na parte central. As lâmpadas são embutidas neste vão, fazendo com que reflitam no próprio forro e iluminem o cômodo de forma indireta, mais agradável e confortável aos olhos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>